Dr Eduardo Boulhosa Nassar Recomenda Ler:

Maternas fatores de risco para transtornos hipertensivos na gravidez: uma abordagem multivariada.

Tradução automática:

 

O estudo teve como objetivo desenvolver algoritmos de previsão para distúrbios hipertensivos com base na análise multivariada dos fatores da história materna e comparar o desempenho estimado de tais algoritmos na predição de pré-eclâmpsia precoce (PE), late-PE e hipertensão gestacional (HG) com o recomendado pelo Instituto Nacional de Excelência Clínica (NICE). A análise de regressão logística foi utilizada para determinar qual das características maternas e da história teve contribuição significativa na previsão de início de PE, late-PE e GH. Houve 37 casos com início de PE, 128 com late-PE, 140 com GH e 8061 casos que não foram afetados pelo PE ou GH. Preditores de early-PE foram a raça negra, hipertensão crônica, PE prévia e uso de medicamentos para ovulação. Preditores de late-PE e GH foram o aumento da idade materna e índice de massa corporal e história familiar ou história de PE. Além disso, late-PE foi mais comum em mulheres negras, indiana e paquistanesa. As taxas de detecção de início-PE, tarde-PE e GH no rastreio por factores maternos eram 37,0, 28,9 e 20,7%, respectivamente, para uma taxa de 5% de falsos positivos. Screening, tal como sugerido por NICE teria resultou numa taxa de falsos positivos de 64,1% com taxas de detecção de 89,2, 93,0 e 85,0% para precoce-PE, tarde-PE e GH, respectivamente. Triagem significativo para transtornos hipertensivos na gravidez, história materna exige a utilização de algoritmos derivados pela análise de regressão logística.

Referência:

 

http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19516271